terça-feira, 22 de julho de 2014

Programação do Brasilia Moto Capital 2014.


Brasilia Moto Capital desta vez terá até loja de Conveniência


 "Os motociclistas sentiam falta de ter um local para compara um carvão e fazer um churrasquinho"

É uma novidade atrás da outra. Esse é o espírito que marca, ano após ano, o Brasília Motocapital. Já consagrado como o maior encontro de motociclistas da América Latina e o terceiro maior do mundo, em 2014 não poderia ser diferente. Para facilitar a vida dos motociclistas, que durante cinco dias de evento – entre os dias 23 e 27 deste mês – lotam o Parque de Exposições da Granja do Torto, a organização preparou uma loja de conveniência.
“A ideia é oferecer itens de primeira necessidade, como escova e pasta de dente, até frutas e verduras”, afirma Bia Freitas, que vai comandar o “Empório do Português” do motociclismo. “Os motociclistas sentiam falta de ter um local para poder comprar um carvão para fazer um churrasquinho. Acabavam tendo de sair da Granja para isso. Agora, podem fazer tudo aqui mesmo. Isso vai ser um facilitador, sobretudo para aqueles que acampam no evento”, diz Bia.
O Empório do Português vai funcionar em três turnos (manhã, tarde e noite) em todos os cinco dias do evento

Treinos extraoficiais abrem movimentação do Moto 1000 GP em Brasília.

Corridas do fim de semana no Autódromo Internacional Nelson Piquet terão participação de cerca de uma centena de pilotos. (Veja aqui a programação)

Fonte: Grelak Comunicação.
O Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília (DF), terá a partir desta quarta-feira (23) a preparação de pilotos e equipes para a terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Com mais de 30 motos na pista – número que considera apenas as confirmações prévias –, a programação do dia prevê treinos extraoficiais que servirão como preparação para as corridas de domingo (27) pelo Moto 1000 GP.
A programação oficial do GP Brasília será aberta na sexta-feira (25) com duas sessões de treinos livres para cada uma das categorias em disputa – GP 1000, a principal, GP 600, GP Light e GPR 250. No sábado (26) haverá outras duas sessões livres, sempre com 25 minutos, cada, e também as tomadas de tempos classificatórias que vão definir as posições de largada para as corridas de domingo, que deverão reunir uma centena de pilotos.

Com mais de nove horas de treinos entre sessões livres, classificatórias e de aquecimento, o GP Brasília terá sua programação de corridas aberta às 10h20 do domingo, com a prova da GP 600. Em seguida, às 11h20, será dada a largada para a GP Light. A prova principal, válida pela categoria GP 1000, vai começar às 13h10. No encerramento da programação, às 14h05, vai começar a corrida da GPR 250, categoria-escola criada em 2013.

Todos os treinos classificatórios e também as provas de domingo do GP Brasília serão transmitidos ao vivo pelo sitemoto1000gp.com.br, com geração de imagens da Master/CATVE. Os canais por assinatura Bandsports e Esporte Interativo e o portal de internet Terra vão transmitir a etapa em um programa com duração de uma hora e meia, a partir das 13h, com a íntegra ao vivo da GP 1000 e da GPR 250 e VTs compactos da GP 600 e da GP Light.

MOTO 1000 GP – PROGRAMAÇÃO DO GP BRASÍLIA
(Autódromo Internacional Nelson Piquet, 25 a 27 de julho de 2014)

Sexta-feira
13h00 – primeiro treino livre da GPR 250 (25 minutos)
13h35 – primeiro treino livre da GP 600 (25 minutos)
14h10 – primeiro treino livre da GP 1000 (25 minutos)
14h45 – primeiro treino livre da GP Light (25 minutos)
15h20 – segundo treino livre da GPR 250 (25 minutos)
15h55 – segundo treino livre da GP 600 (25 minutos)
16h30 – segundo treino livre da GP 1000 (25 minutos)
17h05 – segundo treino livre da GP Light (25 minutos)

Sábado
9h00 – terceiro treino livre da GPR 250 (25 minutos)
9h35 – terceiro treino livre da GP 600 (25 minutos)
10h10 – terceiro treino livre da GP 1000 (25 minutos)
10h45 – terceiro treino livre da GP Light (25 minutos)
11h20 – quarto treino livre da GPR 250 (25 minutos)
11h55 – quarto treino livre da GP 600 (25 minutos)
13h20 – quarto treino livre da GP 1000 (25 minutos)
13h55 – quarto treino livre da GP Light (25 minutos)
14h30 – treino classificatório Q1 da GPR 250 (20 minutos)
14h55 – treino classificatório Q1 da GP 600 (20 minutos)
15h20 – treino classificatório Q1 da GP 1000 (20 minutos)
15h45 – treino classificatório Q1 da GP Light (20 minutos)
16h15 – treino classificatório Q2 da GPR 250 (10 minutos)
16h30 – treino classificatório Q2 da GP 600 (10 minutos)
16h45 – treino classificatório Q2 da GP 1000 (10 minutos)
17h00 – treino classificatório Q2 da GP Light (10 minutos)

Domingo
8h10 – warm up da GP 600 (10 minutos)
8h30 – warm up da GP Light (10 minutos)
8h50 – warm up da GP 1000 (10 minutos)
9h10 – warm up da GPR 250 (10 minutos)
10h20 – largada da GP 600 (11 voltas)
11h20 – largada da GP Light (11 voltas)
11h50 – show de wheeling e visitação aos boxes
13h10 – largada da GP 1000 (14 voltas)
14h05 – largada da GPR 250 (7 voltas)
15h00 – motopasseio

Pesquisa aponta que marca Triumph reúne os clientes mais satisfeitos


 Melhor moto do segmento Big trial foi a Triumph Tiger Explore.

Fonte: G6 Comunicação
A Triumph Motorcycles reúne os donos de motocicletas mais satisfeitos do Brasil. A conclusão é da revista Duas Rodas, da Innovant Editora, que acaba de anunciar os resultados da primeira edição da pesquisa “Melhor Compra”, que aponta o índice de satisfação do consumidor brasileiro com a sua motocicleta.
 Para chegar ao resultado final, os proprietários responderam 24 questões envolvendo os seguintes temas: custos, desempenho, segurança, conforto, qualidade e pós-vendas. As motocicletas foram divididas em 11 categorias. A Triumph participou com grande destaque em quase todas as categorias que reuniram motocicletas acima de 500 cc: Sport, Touring, Custom, Naked e Big Trail. Na categoria Naked, as quatro primeiras classificadas foram motocicletas Triumph: Thruxton, Street Triple 675, Speed Triple e Bonneville. A marca também venceu na categoria Big Trail, com a Tiger Explorer, e ficou em segundo lugar em mais três segmentos: Sport, com a Daytona 675, Touring, com a Trophy SE, e Custom, com a Thunderbird Storm. A média geral de pontos de suas motocicletas garantiu à marca o maior índice de satisfação entre todos os fabricantes que operam no Brasil.

No segmento Naked, por exemplo, vencido pela Thruxton, de acordo com os proprietários pesquisados, o modelo destaca-se pelo seu estilo e qualidade de acabamento. “Design belo, ronco de motor incrível e extremamente fácil de pilotar”, afirmou um dos clientes ouvidos. Neste mesmo segmento, em segundo lugar, a Street Triple foi elogiada pelo seu bom custo com freios ABS de série e também pela modernidade do design e da máquina em si.
 A Triumph também obteve o melhor índice de satisfação no segmento Big Trail, com o modelo Tiger Explorer. Seus proprietários destacaram seu preço muito acessível na comparação com outros modelos dessa faixa de mercado e o desempenho do bom motor de três cilindros da Triumph. “Motor, autonomia e ergonomia são pontos fortes. Viajando pelo Chile, o consumo também se destacou”, comentou outro consumidor satisfeito na pesquisa da revista Duas Rodas.

Laquila lança nova logomarca

A Laquila está de cara nova.

Fonte: Engenharia de Comunicação
 Uma nova logomarca foi lançada em comemoração aos 35 anos da empresa: maior distribuidora e importadora de motopeças e acessórios da América Latina.
Na nova marca, a águia característica da Laquila (que quer dizer águia em italiano) foi modernizada e carregada de simbolismo, como em sua cabeça inclinada representando a velocidade, ou seja, a tecnologia de ponta que os produtos da empresa possuem.
As cores amarela e preta foram preservadas na marca e acrescidas do branco. O desenho da águia desprendeu-se da letra L - como era na versão anterior - e um slogan ganhou espaço embaixo do nome da empresa: "Nosso mundo gira sobre duas rodas".
Segundo o marketing da Laquila, o processo de renovação manteve a marca próxima da original com o intuito de preservar a identidade e a referência familiar que ela possui no mercado, mas não deixou de apostar em traços modernos para garantir uma maior influência.

Moto 1000 GP: GP Brasília dá sequência à temporada de 2014 neste domingo

Henrique Castro (88) e Fábio Adas (15)

 Treinos extraoficiais dão início na quarta-feira à movimentação da terceira etapa no Autódromo Internacional Nelson Piquet

Fonte: Grelak Comunicação.
A temporada de 2014 do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade terá sequência neste domingo (27) com o GP Brasília. As disputas das categorias GP 1000, GP 600, GP Light e GPR 250 do Moto 1000 GP vão movimentar o Autódromo Internacional Nelson Piquet a partir da sexta-feira (25), dia dos primeiros treinos livres. Na quarta (23) haverá sessões de treinos extraoficiais, em que maioria das equipes vão abrir sua preparação para o evento.
A GP 1000, principal categoria da competição, tem liderança do francês Matthieu Lussiana. Vencedor da primeira etapa, em Santa Cruz do Sul (RS), e segundo colocado na corrida de junho em São Paulo (SP), ele soma 48 pontos, 12 a mais que o brasileiro Wesley Gutierrez, que conquistou um segundo e um terceiro lugar. O português Miguel Praia, com 27, e o norte-americano Danny Eslick, que venceu a segunda prova e tem 26, vêm a seguir na tabela.

A GP 600 também tem liderança de um piloto estrangeiro. Vencedor das duas primeiras etapas, o uruguaio Maximiliano Gerardo acumula 54 pontos. O vice-líder paranaense Joelsu da Silva tem 36. O gaúcho Pedro Sampaio, com 29, está em terceiro. A GP Light tem dois pilotos de Brasília no grupo dos três primeiros colocados: Henrique Castro, vencedor em São Paulo, lidera com 35; Ian Testa é terceiro, com 29. O paulista Fábio Adas, com 33, é o vice-líder.

A GPR 250 tem liderança do paulista Meikon Kawakami, vice-campeão em 2013. Com uma vitória e um segundo lugar ele chegou a 47 pontos, com 10 de vantagem sobre o gaúcho Giovandro Tonini, segundo colocado. O paulista Lucas Torres, vencedor da última corrida, é o terceiro, com 36. Na série-escola, o GP Brasília será a segunda das quatro etapas válidas pela seletiva do Red Bull Rookies Cup, que tem Torres na liderança e Kawakami em segundo.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Moto Clube Pelotão IDE escolhe Pirenópolis como roteiro inaugural

Na Route 060

A "expedição" contou 7 motos um carro de apoio, 12 adultos e 4 crianças.

Texto: Nilson Silva
No domingo dia 20/07 aconteceu  o primeiro evento do nosso recém-criado Moto clube Pelotão IDE. Decidimos que atividade de estreia  seria uma viagem no estilo bate-e-volta a Pirenópolis, cidade goiana a 130 Km de Brasilia.
A cidade histórica sobre os montes Pirineus foi fundada durante o  Ciclo do Ouro e preserva o casario em estilo colonial, com ruas estreitas calçadas de pedra, igrejas e outras construções preservadas que parecem paradas no tempo. O ouro acabou mas o povo da cidade hoje vive principalmente do turismo. Pirenópolis é repleta de restaurantes, lanchonetes, pousadas, Camping, hotéis Resorts e estações de ecoturismo, já que a região é rica em nascentes, rios e cachoeiras, sem falar nas cavalhadas o principal evento da região.
Voltando aqui para a nossa viagem, nos concentramos a partir das 08 horas na QS 408 em frente a nossa igreja e após muita conversa, fotos oração e briefing nos deslocamos pela BR 060, com a finalidade de tomar café no point Route 60 na chegada de Abadiânia, um "paradouro de motos", muito bom e muito bem estruturada. Local agradável onde tem-se a oportunidade de fazer um lanche especial e conhecer novos novos amigos, pessoas que gostam de motos.
De lá rumamos para Planalmira, mas sem a presença dos nossos amigos João Guilherme e Barrão do Moto clube Gambé do Cerrado que retornaram a Brasilia.
Em Pirenópolis fizemos como havíamos planejado: Passeio ao Centro Histórico, ao Centro de Atendimento ao Turista, Almoço com comida goiana no Restaurante perto da meia Ponte no Rio das Almas e visita ao Museu Rodas do Tempo, que possui um acervo interessante sobre a história e evolução das bicicletas desde meados do século XVII até nossos dias. E possui também uma grande variedade de Motocicletas triciclos e objetos relacionados, todos do Século XX, com destaque especial para uma Moto Brasileira Amazonas 1600 cc com motor VW de Brasilia refrigerado a ar que circulou por nossas estradas em uma breve existência em meados dos anos 80.
Regressamos pela BR 070 pois julgamos que o trânsito estaria mais calmo e estávamos certo foi um retorno muito tranquilo. Tivemos a presença do nosso Presidente Marcondes com a família, moto e um carro de apoio; do Rondinele com a família, o Bruno com sua moto, o William também de moto, o amigo Mizael de Goiânia também esteve conosco; O autor desse texto também de moto com a esposa na garupa e a presença até metade do percurso dos amigos/irmãos do Gambé do Cerrado, o JG Muxiba e o Barrão. Graças a Deus não houve intercorrências e nos divertimos muito.










sexta-feira, 18 de julho de 2014

Triumph amplia linha cruiser no Brasil com Thunderbird Commander

Nova motocicleta Cruiser já está disponível nas lojas da marca ao preço sugerido de r$ 53.000,00

Fonte: G6 Comunicação.
A Triumph está ampliando no mercado brasileiro a sua linha de motocicletas do crescente segmento cruiser, que já contava com os modelos Thunderbird Storm e Rocket III Roadster. A partir de hoje, começa a ser comercializada no País, também, a Thunderbird Commander, apresentada mundialmente em 2013. Em relação à Thunderbird Storm, a nova Commander traz inovações como um visual mais clássico com o uso maior de elementos cromados, banco mais confortável e novo pneu mais largo na dianteira – e tudo isso mantendo o mesmo motor imenso, chamado de T16, de 1.699 cc. “A nova Thunderbird Commander reforça a atuação da marca neste mercado e amplia ainda mais as opções para o público da Triumph, que consegue aliar o tradicional estilo cruiser com muita tecnologia e tradição”, explica Fernando Filie, gerente de Marketing da Triumph Motorcycles Brazil. A motocicleta chega às 12 concessionárias Triumph com preço sugerido de R$ 53.900,00. Uma das características mais marcantes do novo modelo é o seu visual imponente e vigoroso, que chama a atenção em qualquer condição.

A Commander leva o conceito cruiser mais longe ao não abrir mão de valores que normalmente não são associados ao segmento, como conforto, praticidade, confiabilidade e muita tecnologia em cada componente. Antes de qualquer coisa, portanto, a Commander é uma cruiser da Triumph. E esta realidade pode ser comprovada em cada detalhe.

A Thunderbird Commander utiliza o propulsor com dois cilindros paralelos que é utilizado na versão Storm. Equipado com um par de pistões forjados do tamanho de um pires, duplo comando, oito válvulas e 270° graus de intervalo de ignição, este motor produz 93,8 cv de potência (a 5.400 rpm) e 151 Nm de torque (a apenas 3.550 rpm). São números que garantem incrível flexibilidade e versatilidade à motocicleta, seja acelerando em estrada aberta ou no tráfego da cidade, permitindo que o modelo vá de baixas a altas velocidades sem dificuldades e com muita rapidez.

O trabalho cuidadoso de desenvolvimento realizado pelos engenheiros da Triumph garante que a Commander aproveite todo o seu desempenho através da sua transmissão de seis marchas precisa e suave. A transmissão final do conjunto utiliza correia dentada, para garantir menos manutenção e vida mais longa ao equipamento. Para a Triumph, é importante que o ronco do motor esteja na mesma sintonia do seu desempenho. Por isso, o modelo conta com um sistema de escape desenvolvido para este fim.

O estilo inigualável da motocicleta também é reforçado pelos garfos de aço inoxidável polido, faróis duplos tradicionais da marca, emblemas Commander feitos sob medida e pelo conjunto de lanterna e indicadores traseiros em LED, que, juntos, criam uma cruiser muito elegante e com personalidade própria. Para compor este visual, também contribui o aspecto robusto dos pneus e das suas rodas de 17 polegadas na traseira e na dianteira.

Há outras características que garantem mais facilidade e segurança no uso da Thunderbird Commander, e são dignas de motocicletas esportivas de alto desempenho. O modelo apresenta, por exemplo, garfos Showa de 47 mm, amortecedores traseiros duplos Showa com pré-carga ajustável em cinco posições e molas de elasticidade dupla. No sistema de frenagem, pinças de freio Nissin de quatro pistões e discos duplos flutuantes de 310 mm na dianteira, com pinça de freio Brembo de dois pistões e disco fixo de 310 mm na traseira. O sistema ABS é item de série.

Suas pedaleiras de alta qualidade são feitas de alumínio cromado, apresentando placas protetoras substituíveis. O guidão oferece uma posição das mãos ampla e, ao mesmo tempo, com sensação natural, enquanto o chicote elétrico foi embutido dentro das barras para proporcionar uma visão limpa e livre para o piloto. Outros detalhes práticos e marcantes incluem um imobilizador de chave codificado e o console do painel de instrumentos bem posicionado, montado sobre o tanque, e contendo velocímetro analógico clássico, medidor de combustível e uma tela de LCD com informações como autonomia, hodômetro, relógio – tudo com fácil acesso ao piloto.
 A motocicleta chega ao mercado brasileiro com duas opções de cores: Crimson Sunset Red/Lava Red e Phantom Black/Storm Grey.